E-mail/Senha incorreto. ×

ESQUECEU SUA SENHA?

Não se preocupe. Basta informar o e-mail que você usou para se cadastrar em nosso site.

Os concursos públicos mais esperados para 2016

Por: Leonardo Pereira
03/03/2016
Os concursos públicos mais esperados para 2016 


Natural que vocês esperem de mim alguma análise relacionada às perspectivas de 2016 na visão dos concursos públicos. Mas não cabe à mim a sobreposição de trabalho aos jornalistas que se dedicam à tal missão, diariamente, informando e revisitando as notícias das oportunidades que estão abertas.

 

Sejamos realistas: os concursos continuarão acontecendo, TODOS eles, em um ritmo um pouco menor, até que a economia volte a dar sinais de recuperação. Não há como escaparmos às constantes elevações de demandas da população por serviços públicos, associadas aos recorrentes pedidos de aposentadorias que são protocolados diariamente em todas as esferas públicas, gerando um distanciamento cada vez maior entre a expectativa e a prestação dos serviços.

 

O que temos hoje para a reflexão do bom leitor, é a representação fática do suspiro dos desprovidos de um plano tático de aprovação. Um ano, ou até dois, muitas vezes dizem pouco em relação aos resultados que podemos esperar de um plano de aprovação. E se isso for verdade em função do excessivo volume de conhecimento que se espera de um candidato, o tempo necessário entre o início dos estudos e a primeira aprovação tende a compreender mais que o período de vacas magras pelos quais estamos passando, com a presença de poucos suntuosos editais.

 

Associe-se à essa primeira colocação o fato de termos mais candidatos vocacionados a um cargo público do que ao seu específico, e podemos acompanhar a seguinte formação de grandes contingentes de inscritos - Ex.:se antes eram 5000 candidatos para a ANATEL e 5000 para o INSS, com a notícia de que ANATEL não terá edital, fatalmente temos no instante seguinte da linha do tempo o número de candidatos para INSS saltando para 8400.

 

O que gostaria de destacar é a necessidade de termos foco e dedicação, justificando a necessidade de nos prepararmos sempre com muito afinco, pois mesmo em tempos de publicações frequentes de editais, não me recordo no passado recente daquele concurso que tenha admitido o ingresso de candidatos com baixa formação ou com muita sorte. A concorrência é cada dia mais acirrada e só os melhores vem sendo selecionados.

 

De volta ao exemplo do INSS, seja com 5000, 8500 ou um milhão e meio de inscritos, só serão aprovados os 800 primeiros. Os 800 que estão se dedicando com afinco, com seriedade, comprometidos com seus futuros, certos de que não há luz divina onde não há trabalho.

 

E como então analisar o ano de 2016? Primeiro passo é verificar se seu concurso está entre os já autorizados, como por exemplo os concursos da SAP-SP, IBGE com 7.800 vagas, e para 80 mil vagasPolícia Civil-SP e PGE-SP. Nesses casos, o plano é comprometer-se ao plano de preparação que lhe garanta o primeiro lugar na lista de aprovados. É guerra!

 

Outro posicionamento pode vir da preparação baseada nas notícias de concursos que, independendo de autorização do Ministério do Planejamento para acontecer, estão na ordem do dia dos jornalistas citados. Nesse caso, estamos falando de um concurso historicamente hiper concorrido, Polícia Federal e de um concurso que tem por hábito acontecer pelo menos uma vez por ano, Escriturário do Banco do Brasil.

 

Conjuntamente podem representar a solução para seus anseios de edital na medida em que permitem preparações cadenciadas, sem sustos, com bancas examinadoras regulares e muito conhecidas. Além do que, no conjunto de vagas, teremos fartas ofertas para todos os níveis de formação. Assim, o que podemos esperar de você, candidato comprometido, é o início dos estudos imediato, considerando que não existem razões concretas para que tais editais não saiam.

 

Por fim e não menos interessante, temos os concursos de Tribunais (analistas e técnicos), que anualmente, despejam uma boa centena de vagas no mercado. Ao lado dessas pérolas e sem esquecer que assim como a União, muitos estados estão com grande dificuldade de honrar seus compromissos financeiros, temos toda a gama de concursos estaduais e municipais.


Claro que o número é menor do que o habitual, mas o vagômetro do site PCI Concursos aponta hoje a existência de mais de 40 mil vagas em concursos abertos. Ou seja, em algum momento em 2016, mais de 40 mil candidatos bem preparados estarão tomando posse em alguma função pública. No final, tudo é questão de posicionamento: na lista ou fora dela, comprometido ou não com seus sonhos, determinado ou não com as dificuldades de um plano de estudos que no fim, após a aprovação, nada mais foram que pedras no caminho percorrido.

 

Pense nisso.

 

Leonardo Pereira é Diretor Acadêmico do IOB Concursos. Advogado graduado pela PUC de Minas Gerais, possui pós-graduação em Direito Público e em Direito Privado, ambas pelo Instituto Metodista Isabela Hendrix. Mestre em Direito Empresarial pela Faculdade de Direito Milton Campos.

 

 

Veja o que outras pessoas acham deste conteúdo. Comente você também.

Deseja mesmo encerrar esse chat?


Motivo:


Encerrar Cancelar